Opção sexual: Já fez sua escolha?

Escrevo para os CATÓLICOS!

Caso você não seja católico, não se sinta ofendido… É apenas a nossa fé. Você pode pensar diferente e agir diferente. É direito seu! Constitucional, até! Nós, católicos, queremos manifestar o nosso direito de ser diferente, de pensar diferente e de agir diferente; respeitando as diferenças de ser e agir dos outros.

Sabendo que a maioria do mundo não é Cristão, este texto se dedica proritariamente aos cristãos, particularmente os católicos… Mas não exclusivamente! Há sempre lugar para mais um na família!

Deus nos criou homem e mulher ( Gn 1, 26-27).

el-agitar-masculino-del-símbolo-de-sexo-thumb4319980valentim-do-s-iacutembolo-de-sexo-thumb4320003

E continua criando… A cada nascimento podemos testemunhar a criação de novos homens e mulheres. Nós mesmos somos registrados assim: sexo masculino ou sexo feminino. Recebemos um nome correspondente ao sexo ao qual pertencemos. Usamos roupas condizentes com nossa sexualidade. Nossas características sexuais aparecem, se diferenciam… traços do rosto, formas do corpo, voz, cabelos, força, personalidade, raciocínio, destreza, equilíbrio… em fim, tudo o que torna diferentes homem e mulher.

Quando chega a adolescência e a puberdade essas diferenças tornam-se ainda mais evidentes, a ponto de despertar nossa sexualidade um para o outro… começam os namoros, as paqueras e muitos iniciam até mesmo a vida sexual nessa época.

Mas nem todos são assim…

arcoiris_simboloshomem-754449simbolo homossexualismo

Alguns homens começam a sentir atração sexual por outros homens e o mesmo acontece com algumas mulheres. Na descoberta da sexualidade é normal que alguns jovens tenham dúvidas sobre sua sexualidade, confundam sentimentos e até busquem experimentar uma intimidade com alguém do mesmo sexo nesta faze de descobertas e rebuliços hormonais. Mas isso tende a passar e não faz parte da vivência da maioria de nós.

Acontece que  alguns fazem uma opção de viver um relacionamento afetivo-sexual com uma pessoa do mesmo sexo. Uma decisão livre, uma opção clara. Há crime nisso? Não. Alguém pode ser preso ou denunciado por ser homossexual ou lésbica? Não! Absolutamente!

Mas como escrevo para católicos preciso dizer: Não é crime, mas é pecado.

É pecado porque esta atitude (para quem tem fé católica), significa dizer que Deus, autor da vida, autor do sexo, autor do homem e da mulher esta errado em suas leis naturais. Fora outras razões.

Sabia que não é crime fumar cigarro? Pois é, não é crime não! Mas é pecado. O cigarro contém substâncias que podem levar à morte, e Deus diz: não Matarás. É uma opção sua fumar. As leis humanas dizem ser problema seu se isso vai gerar comprometimentos na sua saúde, mas a lei de Deus diz que isso lhe matará, literalmente.

Foi só um parênteses para dizer que “Tudo é permitido, mas nem tudo convém”.

Voltando ao assunto “Opção sexual”.

O Católico pode ter tendências homossexuais ou lésbicas sabia? E ser Santo (!).

Porque para muitos homens e mulheres, a atração por pessoas do mesmo sexo não é uma opção, está neles, sempre esteve. Como e porque não nos cabe julgar. Menos ainda condenar. Jamais!

Mas vivendo a castidade pela fé em Jesus Cristo Filho de Deus, qualquer pessoa com tendência homossexual pode ser tão ou mais santo que outra pessoa sem essa tendência. Há muitas pessoas que vivem assim. E são felizes.

O Amor e a sinceridade do coração de cada pessoa em buscar em Deus o sentido de todas as coisas  e a resposta para todas as perguntas é que nos santifica e faz caminhar para a felicidade verdadeira que não está nas criaturas mas no criador. Por falar em Amor, em geral, as pessoas com tendência homossexual tem mais facilidade de amar e de se compadecer do que pessoas que não tem essa tendência. E não é um amor de sensibilidade apenas, de aparência, é compaixão: Amor típico de Cristo. Ah, se isso fosse valorizado nestes irmãos! (Este recado é para nós católicos), se fôssemos mais fiéis ao evangelho que nos convida a amar a todos… Muitos irmãos homossexuais estariam livres das garras do pecado e de um mercado cruel e explorador que tem levado à morte milhares… Pelas drogas, pelo Álcool, por Doenças Sexualmente Transmissíveis…em fim, uma verdadeira destruição.

O problema de tudo está no pecado. Ele sim, mata. Ele sim, castiga!

Porque muita gente vive no pecado do adultério, famílias são destruídas… É pecado fazer sexo? Não! É crime? Não!! Mas fora da ordem divina sim. E as conseqüências são devastadoras. Não só para o casal que se separa, mas para os filhos e para o seu crescimento e fé no próprio relacionamento homem e mulher…

E o que dizer da camisinha? É crime usar? Não!! O governo deu mais de 406.000.000 (quatrocentas e seis milhões) de camisinhas no período de 1 ano em postos de saúde de todo Brasil. Já pegou a sua? Tem praticamente duas para cada brasileiro, incluindo aqueles que não tem vida sexual ativa (crianças e gente muito idosa por exemplo).

Não é crime mas é pecado! O Católico precisa entender isso. Você sempre terá opção de decidir, e cada decisão vai gerar uma conseqüência. Para nós a primeira opção é Jesus Cristo e à partir daí se desdobram todas as outras opções. Aqui, em destaque, a OPÇÃO SEXUAL.

Eu optei por ser quem fui criado para ser: Homem. Casei-me com uma mulher e queremos ser um casal santo.

Lua de mel 046r

Qual é a sua?

Deus abençoe.

Jarles.

Comente este post.

Anúncios

Dicas do Método Billings

Controle da Fertilidade sem Drogas  e sem Dispositivos Artificiais

A  chave do controle da fertilidade – o muco

0271

Escrevo diretamente as moças que se preparam para um matrimônio sadio, casto e santo.

Trago uma breve historinha contada no Informe do Ensino do Método da Ovulação na Pesquisa da Organização Mundial de Saúde, em El  Salvador, América Central.

Quando a terra está seca, uma semente não germina.  Mas, quando as chuvas  vêm,  preparam-se para a colheita.  Na mulher, também: quando ela está úmida com o muco e por três dias depois, pode esperar a colheita de uma criança.

A mulher precisa se conhecer, a nossa vida é um dom precioso de Deus e por isso é preciso e melhor planejá-la.

O ciclo menstrual da mulher começa com o sangramento termina com o início do próximo  tempo de menstruação (nada melhor do que está sempre atenta anotando esss datas mensais).

Nos dias férteis do ciclo, você ovula em um só dia do ciclo.  Mesmo quando dois óvulos se desenvolvem (como pode suceder no  caso de gêmeos), os dois são soltos no mesmo dia.  Se não ocorrer uma gravidez, seu sangramento menstrual começará acerca de duas semanas após da ovulação.

A sensação de umidade é semelhante com a mentruação.  Assim é também com o muco tipo fértil.

Você sente algo escorregadio e úmido fora da vagina.  Quando investiga, encontra um muco que é branquinho ou claro distensível.  Talvez pense: “Ah, não é nada!”  Mas, longe de não ser nada”!  Mas, longe de não ser nada,  este muco, o muco fértil é um sinal importantíssimo de boa saúde e fertilidade, ou  seja, se você planeja juntamente com o seu cônjuge um bebê, a hora é essa!

metodosnaturais

Esse muco é produzido pela cérvix (também chamada no colo uterino) durante um período de aproximadamente seis dias antes da ovulação.

O muco tipo fértil é essencial para a fertilidade.  Pesquisas laboratoriais e clínicas demontram isso que o tempo mais fértil no ciclo coincide com o muco tipo  fértil, e que a infertilidade está assiciada com a ausência do muco deste tipo nas mulheres que são normais noutros aspectos (a terra seca não germina) até nisso Deus pensou…

O muco tipo fértil dá aos espermatozóides um invólucro protetor no qual eles retém a capacidade fertilizante por três e as vezes até cinco dias (mas só se o muco estiver presente)

Sem muco, os espermatozóides deterioram rápido:  o ambiente normalmente ácido da vagina poderiam incapacitá-los em minutos.

Durante o tempo de aprendizagem dos tipos de muco que indicam infertizidade ou fertilidade, é importante fazer um registro diário de suas observações.  Sobretudo quando o casal está decidido a ter o seu bebê na hora certa.

O Método Billings* lhe dá a garantia  de melhor planejár o seu filho que sempre será uma bênção para o casal.

Bem, espero ter respondido algumas perguntas de noivas  “casadinhas” que me perguntam no decorrer da semana.

Sou missionária da Comunidade Canção Nova, casada há oito meses com um homem de Deus: Jarles Pereira e faço o Método Billings, longe de anticoncepcionais, temos um matrimônio feliz e saudável.

Ah, em breve ficaremos grávidos, com a graça de Deus!

Um abraço!

Mande sua pergunta, vamos aprender juntas.

No comentário deste Blog ou:

Meu e-mail

mariarosangela@geracaophn.com

Maria Rosângela

Comunidade Canção Nova

*Fonte e pesquisa: Livro “O Método Billings”

Dr. Evelyn Billings e Ann Westmore

Recém casados Recém brigados

divorce

Muitos casamentos vão por água abaixo no primeiro ano de coabitação por causa das brigas entre marido e mulher…

No ditado popular se diz:  “Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher!

Não quero meter a colher, mas ajudar a prevenir!

Sou recém casado, quase 8 meses, e esses dias conversando com minha esposa ela falava de um programa de TV que traz casos freqüentes de recém casados, recém brigados.  Nas cenas, reinam a gritaria, os palavrões e as agressões! E quando os protagonistas dizem “Eu não te amo mais!”, decepcionados com o outro e consigo mesmos, eu penso que o problema é ainda mais grave… “Talvez jamais tenham amado!”

(!) Não se espante!

É possível namorar muitos anos, noivar a casar, e até permanecer casado muitos anos sem amar verdadeiramente. Porque? Porque o amor não é uma receita com poucos ingredientes…

Porque há valores indispensáveis, componentes do amor genuíno, verdadeiro, que tem sido esquecidos… Embora a massa do relacionamento seja misturada e levada ao forno; embora se possa ver que é uma massa de relacionamento à dois, e se tenha tabuleiro e até mesmo um bom forno, se faltar algum ingrediente o “bolo” do amor pode até sair, mas não será o que se esperava.

Quero lembrar de um “ingrediente” muito importante sem o qual o amor não nasce, não existe!

oriente-desconhecido-outracoisa-7

O conhecimento!

Podemos viver ao lado de pessoas por anos e anos sem as conhecer, sem saber quem elas são, sem conhecer seus sonhos… Infelizmente essas pessoas podem ser muito próximas a nós, podem ter o mesmo sangue que nós, podem ser irmãos, pais… Infelizmente.

No relacionamento amoroso, também!

E hoje em dia, muito mais. Buscar valores como: paciência, educação, responsabilidade, sensibilidade, ser trabalhador, higiene, simpatia, são apenas o início para uma boa escolha de companheiro (a) para toda a vida, para uma nova família.

Pena que a maioria das pessoas só se lembra dessas coisas básicas tarde demais!

Pena que os valores como beleza física, renda mensal, disposição para festas, modo de se vestir, acabam por superar e muitas vezes submergir àqueles no dia a dia dos relacionamentos… A decepção virá logo que o fervor dos hormônios  se abaixarem.

Mesmo os valores mais nobres ainda não correspondem  a um conhecimento suficiente para se decidir por casar-se com alguém.

É preciso conhecer além disso, é preciso montar no quebra cabeças da vida dos dois, o conjunto dessas coisas em ação numa pessoa que mudará, que amadurecerá, que hoje tem uma visão de mundo e amanhã terá outra, que hoje não compreende certas realidades e que amanhã, talvez permaneça sem compreender e sem aceitar…

O diálogo e a observação são imperativos neste processo.

Se o casal de namorados gasta a maior parte do seu tempo com o lazer, o indispensável processo de conhecimento pode estar sendo comprometido… Sobretudo porque os ambientes mais procurados para o lazer á dois são os que menos proporcionam conhecimento verdadeiro.

Mesmo aqueles que não guardam a castidade (por não conhecerem ou por não aceitarem), não conhecem verdadeiramente a sexualidade genuína do outro.  (leia depois a matéria sobre camisinha, na página “aos namorados”). E por que? Porque não é só fazer sexo muitas vezes que nos faz conhecer a sexualidade do outro, não é só ser carinhoso (a), não é só fazer deste ou daquele jeito… Qualquer prostituta (o), pode fazer melhor que você! Não está no fazer, não está no como fazer, não está na quantidade de prazer, está na além , muito além disso…

Para conhecer é preciso gastar tempo… Para ler um artigo como esse por exemplo!

Para ouvir o outro, para ler, na vida do outro sua essência. Só se ama o que se conhece.

Se as brigas devoram os primeiros dias e meses de casamento, pode ser que ao morar junto, você tenha se dado conta de que ele, ela, não era assim quando vocês namoravam… Não mesmo?

Ou será que no fundo no fundo seu amor era desconhecido?

Lua de mel 239

Pense nisso.

Se você é casado e enfrenta isso, há um longo trabalho pela frente, não desista! Não entregue os pontos, procure ajuda!

Se você ainda não casou, busque, privilegie o conhecimento do outro. É ele quem abre as portas para o amor verdadeiro.

Fique com Deus.

Se quiser conversar à respeito: jarles@geracaophn.com

Jarles, Canção Nova.

Lua de mel 381