Aborto: ruím para a mulher, pior para o bebê.


É mais um tema legal de se falar: Aborto.

Concordo quando o governo diz que o Aborto é um problema de saúde pública e que é preciso tomar providências, mas discordo totalmente dos critérios desta triste constatação.

O Aborto no Brasil é crime e só é permitido em caso de estupro e  ou risco de morte para a mãe. Mas todos os anos milhares de mulheres dão entrada no SUS para se tratar de abortos espontâneos (caso em que não é provocado) e abortos inseguros . Segundo  o próprio governo  este número é preocupante, só em 2004 foram 243.988 mulheres atendidas nestes casos. Isso sem contar aquelas que fazem aborto em clínicas clandestinas ou em fundos de quintal por ai.

O risco de morte para a mãe é grande quando se faz um aborto ainda mais clandestino e essa é uma grande preocupação de toda a sociedade. Coisa justa! Mas e o bebê, quem o defende? Se o risco de morte para mãe é grande, para o bebê é certo. Isso quer dizer que cada aborto é uma assassinato de um inocente incapaz de se defender. É preciso defender também o bebê e não só a mãe.

Há muitos casos em que médicos oferecem o aborto como solução para uma gestação em que o bebê vai nascer com má formação e pode não viver muito fora do útero, ou mesmo ter problemas o resto da vida. E isso legitimaria assassiná-lo? Só porque não fala? Só porque não ouve? O que os olhos não vêem o coração não sente?

Aborto é problema de saúde pública SIM, mas antes, é um problema MORAL! O fato de não considerar a vida intrauterina só porque ela não é desejada é um problema moral que afeta as raízes da raça humana. A constituição do Brasil garante o direito à saúde para todo cidadão, mas o nascituro não é cidadão ainda… Por isso o bebê sempre morre sem direito a defesa, sem direito à saúde, sem direito à velório sem ser defendido por sua própria mãe.

Aliás, a única pessoa que pode acabar com esta matança é você, mãe! Acabar com a matança das crianças e das mães causadas pelo aborto  ” inseguro”, nome suave usado pelo governo para não colocar peso na consciência de quem mata o próprio filho antes mesmo dele nascer. É duro ouvir isso? Pior é morrer por causa disso!

É duro engravidar do namorado ou da aventura de uma noite de balada, você não esperava, mas aconteceu. É duro ficar grávida e estar ou ficar desempregada. É duro ficar grávida e não ser acolhida por niguém da família. É duro… Mesmo tomando medicamentos contraceptivos… É duro ficar grávida sendo tão jovem. É duro receber a notícia de que seu bebê vai nascer com problemas de saúde…

Nós humanos deveríamos fazer de tudo para salvar vidas mais ainda se tratando de nossos filhos. Acredito que para uma mulher chegar ao ponto de cometer um aborto, é sinal de que algo está muito errado, algo tão sério que afeta as raízes da humanidade, algo que vai de encontro à nossa história, à sua história, já que todos nós nascemos e não fomos abortados.

Será que você realmente já tentou tudo, tudo mesmo para resolver o seu problema? A única solução realmente é o aborto? E o que o aborto vai solucionar? Seu problema de consciência? Seu futuro comprometido pela gravidez?

Não importam os motivos da mãe, eles jamais levam em conta a vida do bebê…

Quanto à gravidez “indesejada”, é outro problema moral, que por sua vez é a maior causa da procura pelo aborto. Segundo a OMS, metade das gestações é indesejada. Mas isso é um assunto para outra matéria.

Deixo algumas fotos de vítimas de aborto não assistidas… Talvez alguém evite mais mortes inocentes.

Este último bem que tentou reagir…

Só depende de você, mãe…

Salve vidas, salve nossas crianças, salve nosso futuro!

EXPRESSE SUA OPINIÃO: VOCÊ É À FAVOR DO ABORTO OU CONTRA? DEIXE NO COMENTÁRIO.

Anúncios

7 comentários a “Aborto: ruím para a mulher, pior para o bebê.”

  1. E nos casos de anencefalia total, qual seria a justificativa que a igreja dá para não se fazer o aborto, já que neste caso a criança não consegue sobreviver. Sou totalmente contrária ao aborto, em qualquer hipótese, apenas gostaria de saber a resposta p/ essa pergunta para saber melhor explicar essa questão para aqueles que me perguntam sobre isso.

    1. Ótima pergunta!
      A resposta é simples: Faça de tudo para salva-la. A igreja vê e conhece o sofrimento das famílias que tem filhos sendo gerados com deficiencias gravíssimas e que infelizmente muitas vezes morrem, contudo nós temos fé e por causa desta fé já vimos muitos milagres. Digamos que o milagre não aconteça e a criança morra após o parto, mesmo que horas ou dias depois, como será a recordação dos pais que fizeram de tudo para salvar seu bebê? “Nós o amamos até o fim!” E qual será a recordação dos pais que nem sequer tentaram? “?”
      Muitos médicos e alguns ateus e séticos disem que é um sofrimento inútil levar uma gravidez dessas até o fim, mas para quem tem fé e ama quem está gerando, um feto anencéfalo não é simplesmente uma pessoa que deu errado, “é meu bebê!”, é carne de minha carne. A Igreja defende a vida da criança e da mãe, não quer perder ninguém!

  2. tenho 21 anos e sou louca para ser mãe,e não acredito que pessoas que foram abençoadas tenham coragemde fazer essa crueldade com um ser tão desejado por outros.

  3. Ai, gente… ao ver tanta gente achando que tem “direito” ao aborto, em defender a mulher pobre coitada que faz um aborto clandestino e pode morrer… dá uma arrepio e uma descrença nos seres humanos. Mas me senti tão aliviada ao ler que tem gente que pensa como eu. Não quer? Não faça! Fez, assuma. Mais responsabilidade e menos desculpas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s