Amamentação e o Método da Ovulação (Billings)

A amamentação e o Método da Ovulação são mutuamente recíprocos. A mãe, o pai, a criança, todos se benificiam.


Após o nascimento do nenê, quase todas as mulheres esperimentam um período natural de infertilidade, prolongado por meses ou até anos se a mãe amamenta seu nenê. O plano da natureza parece dar-lhe facilidade para cuidar da nova criança sem ter ocupações de outra gravidez cedo demais. Mas assim que a necessidade do seu nenê diminui, seu corpo responde com o vulação.

O método da Ovulação lhe dá o poder de reconhecer os meses de infertilidade para que possa gozar de um relacionamento sexual livre de aparelhos anticoncepcionais e livre de ansiedade acerca dos possíveis efeitos dos hormônios da pílula em seu leite e em seu nenê.

(Texto do livro O Método Billings)

Acredito estar muito claro o que a Dra. Evelyn traz acerca do Método na amamentação. Respondendo a muitas mulheres que, estão ainda duvidosas a esse respeito.

Mas, quando costuma ocorrer a ovulação?

Costuma ocorrer antes da primeira menstruação, por isso é extremamente importante desenvolver tão cedo quanto possível um conhecimento acerca do muco que é o sinal da ovulação.

Quanto tempo você estará infértil durante a amamentação?

O número de meses que você estará infértil dependerá de vários fatores, incluindo a demanda do nenê pelo leite materno e sua própria constituição física.

(Ou seja, quanto mais o seu nenê mama no peito, e, somente no peito, o seu tempo de infertilidade se prolongará).

Pela observação cuidadosa você pode aprender a reconhecer seu Padrão Básico de Infertilidade enquanto estiver amamentando.

Não importa se já usou o Método da Ovulação anteriormente. Você pode aprender a reconhecer seu padrão de infertilidade, observando-se diariamente.

Se estiver infértil, seu padrão pode ser:

*Seco todo o tempo, sem nenhum muco,

*O mesmo tipo de muco dia após dia,

*Dias de muco tipo infértil com dias secos intercalados.

Não posso finalizar esse texto sem dizer que, poder amamentar seu nenê com leite materno é uma graça, uma página seria insuficiente…

Com carinho e orações,

Maria Rosângela

Mamãe da Yasmim, por graça de Deus

Comunidade Canção Nova.

Anúncios

Crime sexual

Isso mesmo, crime sexual!

É o que está sendo cometido contra nossas crianças e adolescentes ainda nas escolas, dentro delas.

Falo das máquinas de camisinha,  idéia “brilhante” para proteger as crianças e adolescentes contra a AIDS e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Porque digo que é um crime sexual?

Porque ao invés de proteger nossas crianças e adolescentes contra as doenças provocadas por uma vivencia sexual fora de tempo, essa ideologia tem lançado crianças e adolescentes numa vida sexual cada vez mais precoce.

Essa medida deixa as portas mais abertas para a pedofilia e a pornografia infantil.  Como assim? Ora, o que o adolescente vai fazer com acamisinha que ganhou na máquina? Usar! Significa, em muitos casos uma relação sexual. Agora, com quem? Outro adolescente? Uma pessoa adulta? Quem controla isso? A pedofilia é crime no Brasil, assim como a pornografia infantil. A idéia de saúde sexual que querem passar para nossos jovens é que usar camisinha é agarantia de saúde. E a saúde psicológica? E a saúde afetiva, por amor de Deus!? Isso é um crime!

Mas como protege-las deste mal terrivel se ao invés de ensinarmos nossas crianças e adolescentes que o sexo não é diversão e que a responsabilidade com nossa sexualidade vai além do uso de um preservativo nós simplesmente lhe oferecemos o preservativo como proteção? “Proteja-se”.

Mesmo na adolescência, ainda que o jovem e a jovem possam fisicamente ter relações sexuais, psicologicamente, afetivamente e emocionalmente eles não estão prontos nem para o ato e menos ainda para suas consequências. Uma gravidez por exemplo: como uma jovem de 13, 14, 15 anos em idade escolar vai fazer para cuidar de um bebê? Com que estrututa psicológica ela será mãe? E a estrutura afetiva ainda em formação, vai amadurecer à tempo? Para isso o governo oferece o aborto como solução para o corpo da mulher… Mata-se a criança, resolve-se o problema da mãe. E a criança, qual é a solução para o bebê? Morte? Matar continua sendo crime no Brasil.

A descoberta e o conhecimento da sexualidade são fundamentais sobretudo nesta fase da vida para formar adultos maduros. Mas a experiência tem mostrado desastrosamente que uma sexualidade sem freio, sem rédias, sem maturidade e responsabilidade para além da proteção física, tem acabado com nossos jovens, adolescentes e até crinaças.

Sem uma verdadeira instrução e testemunho familiar e um diálogo aberto sobre o assunto, desde a idade em que a criança possa entender fica ainda mais dificil o que já não é fácil. Sabemos que muitas famílias estão desestruturadas e por conta disso há uma incapacidade de muitos pais em dar uma correta visão sobre a sexualidade, até porque muitos não a tem para si mesmos… Por isso é necessário que a educação sexual seja antes de tudo para os pais juntamente com valores morais e espirituais que defendam a família da destruição e deterioração. Pais bem formados, uma família conscistente, casamentos bem fundamentados geram filhos sadios em todos os aspectos na maioria das vezes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O esvaziamento dos relacionamentos está gerando um circulo vicioso de destruição da família, da moral, da sexualidade humana… Nos aproximando dos animais. Por causa dele, o casamento para muitos se tornou “uma instituição falida”; o amor pra toda via, uma piada de mal gosto; a família, um detalhe que pode ou não acontecer; o divórcio, uma oportunidade; filhos, um acidente; educação sexual, camisinha.

O fato é que isso é uma realidade hoje e em breve estará em todas as nossas escolas públicas, e os alunos terão acesso. Se os pais não souberem dialogar com muita sabedoria e inteligência sobre o assunto, nossos jovens serão lançados cada vez mais cedo na vida sexual precoce quando deveriam estudar, e crescer em outros aspéctos tão importantes e fundamentais para sua idade de inúmeras descobertas e mudanças. No momento em que deveriam aprender a ter disciplina física e afetiva, lhes é apresentado o sexo simplesmente como uma descoberta que ele e ela tem direito e que dá prazer.

Só não esqueçam de falar que isso pode “viciar” e “alienar” tanto ou mais que a droga nesta idade e que cada vez mais fica mais difícil libertar um jovem e uma jovem deste circulo vicioso.

Esse tipo de assunto deve ser falado e muito falado dentro de nossas casas, deve ser uma conversa aberta assim como se deve falar de drogas lícitas e ilícitas. Proteja seus filhos! proteja sua família! Ainda que se dê camisinha de graça e junto com ela a oportunidade para uma sexualidade à moda do ‘mundão’, os seus se forem educados saberão dizer não e esperar com paciência e sabedoria a hora de se entregar numa relação de amor e compromisso verdadeiro no Matrimônio.

Salvemos nossos filhos deste desastre…

Jarles.