Ainda há tempo de voltar para o Senhor

Jesus, manso e silencioso, não vai bradar… nem fazer-se ouvir nas ruas, não protestará contra os insultos, as acusações, as condenações; manso nas relações com os seus inimigos”.

Tenho a impressão de que estamos muito longe do agir de Jesus, contudo, não falta a reta intenção no coração dos homens de boa vontade. A mansidão de Cristo para com os pecadores de que se compadece, e cujas culpas Se apresta para expiar, transforma-se em fortaleza ao cumprir Sua missão, ao proclamar a verdade e a justiça até à morte: “não desanimará nem se deixará vencer, até que se estabeleça a justiça sobre a terra”. Em Jesus, todos os homens encontram misericórdia.

 

Salve, nosso Rei, só Tu tiveste compaixão dos nossos pecados”

 Em Cristo Crucificado encontramos o remédio para os nossos pecados, o refúgio nas dificuldades da vida e a força para levar a cruz de cada dia. Antes de penetrar a fundo no mistério da Paixão, comprometa-se. Recomeçe, ainda há tempo…

Valerá a pena chegar ao Domingo da Ressurreição do Senhor com o coração alegre, ressuscitado com o Cristo.

 Reze assim:

 “Ó Senhor, faz com que o meu dom seja completo, que me entregue totalmente a Ti, eu mesmo e tudo o que me pertence, amém!”

 Maria Rosângela

Comunidade Canção Nova

O Amor Exige Fidelidade

Continuamos nossa conversa sobre o amor matrimonial e suas características indispensáveis de sobrevivência.

O amor precisa ser “FIEL”.

Hoje, infelizmente muita gente ri desta palavra, outros a consideram uma utopia e, tem gente que é tão ferido e machucado que não acredita ser possível alguém “normal”, manter-se fiél num relacionamento a dois. Que tristeza! Literalmente essas pessoas não conheceram o amor de Jesus! O amor de Jesus é fiel, e quando o homem e a mulher se unem no sacramento do matrimônio, é esta graça da fidelidade de Cristo que eles recebem.

“E te prometo ser fiél”!

O desejo da fidelidade está no coração do homem e da mulher assim como o desejo da imortalidade. Queremos que dure para sempre, que jamais acabe! Certa vez, estava em missão numa cidade do interior do Mato Grosso e, visitamos uma família… Num determinado momento de nossa longa prosa falamos que no céu não haverá mais a realidade de marido e mulher… O esposo com os olhos arregalados disse: – Não! Deus não iria me levar para o céu e lá me separar de minha esposa! Percebi o grande amor que aquele homem tem por sua esposa e lhe respondi. Amigo, não haverá laços matrimoniais porque não serão necessários, no céu toda a humanidade será esposa do Cristo e seu amor em nós será tão perfeito que qualquer outro laço de amor vivido na terra não será capaz de se aproximar de sua grandeza. Você não será separado da sua esposa, serão ainda mais unidos, Deus será tudo em todos, só não serão marido e mulher, não precisarão ser.

Veja, temos sede do eterno, do infinito! Inventamos produtos para retardar o envelhecimento, fazemos cirurgias plásticas, mandamos congelar nossos corpos, queremos viver para sempre, queremos que o amor dure para sempre e não que seja “eterno enquanto dure”.

Assim, esse amor com o qual Jesus nos preencherá no céu, já pode ser experimentado em parte, como imagem do que será no céu, aqui na terra, e o sacramento do matrimônio é o lugar para viver esse amor. Mas o amor de Cristo é Fiel! “Eis que estarei convosco, todos os dias, até o fim dos tempos”!

Fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, na sobriedade e na embreaguez, andando ou paralítico, enxergando ou cego, com dois ou um pulmão, com dentes ou sem dentes, simpático ou chato de galocha, organizado ou desorganizado…  É por essas e outras que precisamos da fidelidade de Cristo em nós, porque tem coisas que não damos conta de suportar no outro, mas Jesus dá conta, e nos capacita para dar conta e amar a ponto desse amor transformar as realidades mais difíceis!

É Jesus que nos ama incondicionalmente, as pessoas não! Unir-se em matrimônio sem contar de fato com o amor de Jesus é fadar-se quase sempre à separação, sobretudo nos dias de hoje em que consideramos até as pessoas como “descartáveis”, ou seja, uso enquanto para mim tem validade. É bem a idéia dos reality shows como o BBB. Basta prestar atenção nos “casais famosos”. Quanto tempo em média dura um casamento entre famosos, atores, gente que forma opinião? Quase sempre a separação acontece por causa do egoismo mútuo. O que pensavam ser amor era paixão… E ela se foi…

É difícil ser fiel quando o meu parâmetro não é o amor de Jesus que nos une para sempre.  Não quer dizer que vivermos aqui na terra um matrimônio sem problemas, mas que vencermos os problemas pela força do amor fiel que ele nos dá.

Como eu dizia, há pessoas que não acreditam na fidelidade conjugal por diversas causas: pais divorciados, traições na família, por ter sido traido (a) num relacionamento, por saber de traições que outras pessoas sofreram, por ver no mundo de hoje tantas pessoas que não desejam assumir um compromisso sério, pelo fato do sexo ter se tornado o ponto principal nos relacionamentos que menos duram (ficar), em fim… Para vencer essas situações não há outra saída senão experimentar a graça e a segurança da fidelidade e da castidade. É um exercício de vontade alimentada pela fé no amor de Jesus. Milhares de casais cristãos fazem esta experiência, você também pode fazer!

A fidelidade é bom para todos: bom para o casal, bom para a família, bom para a sociedade que vai se livrando da chaga do divórcio, do adultério, da AIDS! Sim, da AIDS. Porque se a fidelidade começar a encontrar o seu lugar nas famílias, o equilíbrio afetivo-sexual virá e, se marido e mulher são fiéis, cada vêz menos pessoas vão contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis. Os casais poderão educar seus filhos dentro desta realidade… Os casos de Pedofilia vão diminuir, a vida sexual precoce entre adolescentes e jovens também.

Veja a importância da fidelidade matrimonial… Ela pode ajudar a melhorar e muito o mundo em que vivemos.

A fidelidade é amiga da verdade.

A Verdade vos libertará!

Deus abençoe.

Jarles.